Desapego II

razão e emoçãoHá um momento para começar e um momento para concluir.

Quando algo chega ao fim é preciso seguir adiante, ainda que o apego insista em mantê-lo controlando tudo. Não é inteligente forçar uma situação apenas para impedir que a mudança ocorra, pois isso pode gerar apenas frustração e uma sensação de fracasso.

Observe que “algo que chegou ao fim” não é, necessariamente, uma afirmação negativa. Pode, pelo contrário, ser muito positiva, principalmente se o que chegou ao fim foi um sofrimento, uma situação insustentável, uma doença ou um problema. E também é preciso aprender a seguir adiante pois, por incrível que pareça, ficamos também apegados aos nossos sofrimentos.

Temos que confiar no desconhecido. Há momentos em que precisamos simplesmente saltar no abismo, na confiança de que asas nos conduzirão aonde devemos ir. O futuro nos reserva muitas surpresas, mas apenas se soubermos nos desapegar do que não nos serve mais.

Anúncios

Eu […]

fé-deus

Sou pessoa de dentro pra fora. Minha beleza está na minha essência e no meu caráter. Acredito em sonhos, não em utopia. Mas quando sonho, sonho alto. Estou aqui é pra viver, cair, aprender, levantar e seguir em frente. Sou isso hoje… Amanhã, já me reinventei. Reinvento-me sempre que a vida pede um pouco mais de mim. Sou complexa, sou mistura, sou mulher com cara de menina… E vice-versa. Me perco, me procuro e me acho. E quando necessário, enlouqueço e deixo rolar… Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga nem teu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada. Não suporto meio termo. Sou boba, mas não sou burra. Ingênua, mas não santa. Sou pessoa de riso fácil…e choro também!”

Magia…

Bia B.

Ouse buscar as coisas que ninguém mais pode ver,

acredite na magia, pois a vida é cheia dela,

mas acima de tudo, acredite em si mesmo…

Porque dentro de você, reside toda a magia da esperança, do amor e dos sonhos de amanhã.

Diário de um Mago

Quando renunciamos aos nossos sonhos e encontramos a paz – disse ele depois de um tempo – temos um pequeno período de tranquilidade. Mas os sonhos mortos começam a apodrecer dentro de nós, e infestar todo o ambiente em que vivemos. Começamos a nos tornar cruéis com aqueles que nos cercam, e finalmente passamos a dirigir esta crueldade contra nós mesmos. Surgem as doenças e psicoses. O que queríamos evitar no combate – a decepçao e a derrota – passa a ser o único legado de nossa covardia. E, um belo dia, os sonhos mortos e apodrecidos tornam o ar difícil de respirar e passamos a desejar a morte, a morte que nos livrasse de nossas certezas, de nossas ocupaçoes, e daquela terrível paz das tardes de domingo.
(em O diário de um Mago)

Mais ou Menos

Bia B.
babiliss.wordpress.com

A gente pode morar numa casa mais ou menos, numa rua mais ou menos, numa cidade mais ou menos, e até ter um governo mais ou menos.

A gente pode dormir numa cama mais ou menos, comer um feijão mais ou menos, ter um transporte mais ou menos, e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro.

A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos…

TUDO BEM!

O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum…
é amar mais ou menos, sonhar mais ou menos, ser amigo mais ou menos, namorar mais ou menos, ter fé mais ou menos, e acreditar mais ou menos.

Senão a gente corre o risco de se tornar uma ” Pessoa mais ou menos “

Mais um dia.

Mais um dia, Novo e sem uso!

 

Aqui estamos nós.

Aqui estou eu.

 

Aí está você.

 

O importante MESMO é saber que TUDO está Bem.

Seja como for, Amanhecer é ganhar mais um dia de presente para viver. Por isso, comemore.

Agradeça!

A partir do momento que se acorda inicia-se mais um Espetáculo da vida.

Viva este Evento como algo fantástico.

Cada manhã traz a Oportunidade de Sintonia com o Universo através dos canais de percepção.

Enquanto TUDO está em silêncio, na intimidade dos seus pensamentos, nos devaneios do espírito da rotina de mais um despertar; A VIDA SE REVELA.”

Esperamos Demais para fazer o que Precisa ser feito, num mundo que só nos dá Um Dia de Cada vez, sem nenhuma garantia do amanhã. Enquanto lamentamos que a vida é curta, agimos como se tivéssemos à Disposição um estoque Inesgotável de Tempo.

Esperamos demais para ser Generosos, deixando que a Demora Diminua a Alegria da Espontaneidade.

Esperamos demais para Verdadeiramente Agir como Pais, esquecendo quão Curta é a Infância.

Esperamos demais para dar Carinho aos nossos Pais, sem pensar que haverá uma hora que será Tarde demais.

Esperamos demais nos Bastidores, quando a Vida tem um Papel para Desempenharmos no Palco de Nossas Próprias Vidas.

Namoro —> Razão X Emoção

Nossos caminhos, quase sempre são cercados por sentimentos
diversos que, em resumo, traduzem o quanto às emoções podem influenciar e
interferir em nossas decisões. Em contrapartida, a racionalidade é um
instrumento quase matemático na escolha de uma ou outra opção.

Felizmente a razão e a emoção conseguem estar completamente
dissociadas entre si. Digo felizmente, porque considero potencialmente perigoso
uma decisão tomada baseada em apenas um aspecto, sem o balanceamento do
outro.

Talvez o ideal fosse um equilíbrio entre o racional e o
emocional, com pequenas oscilações para um ou outro lado.

Nas relações amorosas, frequentemente nos deparamos com
situações que exigem uma escolha e uma posição clara sobre o fato colocado.
Muitas vezes no ímpeto da emoção, fazemos coisas sem avaliar o desfecho futuro
que tal ato pode desencadear, o que com freqüência acontece de forma danosa.
Exemplo típico é o caso da relação sexual sem o uso de preservativo, movidos
pela paixão momentânea em que tudo o mais passa a ser desconsiderado. Esta
história já culminou em muita gravidez indesejada onde a vida do casal mudou
radicalmente e para sempre, pelo simples fato de não ter havido um mínimo de
racionalidade. Isso sem falar em doenças sexualmente transmissíveis, que podem
trazer conseqüências desastrosas e irrecuperáveis.

Na verdade, a emoção é o diferencial da espécie humana em
relação aos outros animais e por mais que tentamos, não conseguimos de forma
alguma deixa-la de lado. Se isso acontecesse, deixaríamos a nossa condição
humana e passaríamos a agir apenas por instinto.

A sexualidade humana é sempre carregada de muita emoção e
vários sentimentos que são responsáveis desde a aceitação até a repulsa por uma
determinada condição. È ela quem nos diz se tal parceiro vale a pena ou não,
através de vários pontos de vista, inerentes a cada individuo.

Em contrapartida, a razão é mais responsável, a meu ver, pelas
formas de amar, visto que, uma pessoa com firmes convicções, sejam elas de cunho
religioso, cultural ou qualquer outro, não deixará a emoção do momento
sobrepor-se a isso. Significa dizer que, por exemplo, se uma mulher tem a firme
convicção de que o sexo anal é uma coisa suja ou anti-natural, não será através
da emoção do momento que ela irá se sujeitar a faze-lo.

Também a razão tem muito a ver com o aprendizado de cada um, e
isso pode tornar-se, em alguns casos, algo bastante individual e particular.

Isso não significa dizer que a razão de um é menos ou mais
importante que a de outro, apenas que tem pontos de vista diferentes e que cada
um deve ser respeitado.

Nos relacionamentos amorosos, bem como em quase todas as coisas
na vida, independentes da razão e emoção, vale dizer que devemos agir sempre com
bom senso, procurando ao máximo a felicidade e realização das coisas que
fazemos, respeitando sempre as opiniões contrárias, mas sem perder nossas
convicções.

Razão e emoção devem, sempre que possível, andar o mais próximo
entre si na busca de acontecimentos prazerosos, sempre com responsabilidade e
senso critico para não ter seu futuro prejudicado por ações impensadas.