Mais ou Menos

Bia B.
babiliss.wordpress.com

A gente pode morar numa casa mais ou menos, numa rua mais ou menos, numa cidade mais ou menos, e até ter um governo mais ou menos.

A gente pode dormir numa cama mais ou menos, comer um feijão mais ou menos, ter um transporte mais ou menos, e até ser obrigado a acreditar mais ou menos no futuro.

A gente pode olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos…

TUDO BEM!

O que a gente não pode mesmo, nunca, de jeito nenhum…
é amar mais ou menos, sonhar mais ou menos, ser amigo mais ou menos, namorar mais ou menos, ter fé mais ou menos, e acreditar mais ou menos.

Senão a gente corre o risco de se tornar uma ” Pessoa mais ou menos “

A arte de Ser Feliz

natureza...Houve um tempo em que minha janela se abria
sobre uma cidade que parecia ser feita de giz.
Perto da janela havia um pequeno jardim quase seco.
Era uma época de estiagem, de terra esfarelada,
e o jardim parecia morto.
Mas todas as manhãs vinha um pobre com um balde,
e, em silêncio, ia atirando com a mão umas gotas de água sobre as plantas.
Não era uma rega: era uma espécie de aspersão ritual, para que o jardim não morresse.
E eu olhava para as plantas, para o homem, para as gotas de água que caíam de seus dedos magros e meu coração ficava completamente feliz.
Às vezes abro a janela e encontro o jasmineiro em flor.
Outras vezes encontro nuvens espessas.
Avisto crianças que vão para a escola.
Pardais que pulam pelo muro.
Gatos que abrem e fecham os olhos, sonhando com pardais.
Borboletas brancas, duas a duas, como refletidas no espelho do ar.
Marimbondos que sempre me parecem personagens de Lope de Vega.
Ás vezes, um galo canta.
Às vezes, um avião passa.
Tudo está certo, no seu lugar, cumprindo o seu destino.
E eu me sinto completamente feliz.
Mas, quando falo dessas pequenas felicidades certas,
que estão diante de cada janela, uns dizem que essas coisas não existem,
outros que só existem diante das minhas janelas, e outros,
finalmente, que é preciso aprender a olhar, para poder vê-las assim.

Mais um dia.

Mais um dia, Novo e sem uso!

 

Aqui estamos nós.

Aqui estou eu.

 

Aí está você.

 

O importante MESMO é saber que TUDO está Bem.

Seja como for, Amanhecer é ganhar mais um dia de presente para viver. Por isso, comemore.

Agradeça!

A partir do momento que se acorda inicia-se mais um Espetáculo da vida.

Viva este Evento como algo fantástico.

Cada manhã traz a Oportunidade de Sintonia com o Universo através dos canais de percepção.

Enquanto TUDO está em silêncio, na intimidade dos seus pensamentos, nos devaneios do espírito da rotina de mais um despertar; A VIDA SE REVELA.”

Esperamos Demais para fazer o que Precisa ser feito, num mundo que só nos dá Um Dia de Cada vez, sem nenhuma garantia do amanhã. Enquanto lamentamos que a vida é curta, agimos como se tivéssemos à Disposição um estoque Inesgotável de Tempo.

Esperamos demais para ser Generosos, deixando que a Demora Diminua a Alegria da Espontaneidade.

Esperamos demais para Verdadeiramente Agir como Pais, esquecendo quão Curta é a Infância.

Esperamos demais para dar Carinho aos nossos Pais, sem pensar que haverá uma hora que será Tarde demais.

Esperamos demais nos Bastidores, quando a Vida tem um Papel para Desempenharmos no Palco de Nossas Próprias Vidas.

Namoro —> Razão X Emoção

Nossos caminhos, quase sempre são cercados por sentimentos
diversos que, em resumo, traduzem o quanto às emoções podem influenciar e
interferir em nossas decisões. Em contrapartida, a racionalidade é um
instrumento quase matemático na escolha de uma ou outra opção.

Felizmente a razão e a emoção conseguem estar completamente
dissociadas entre si. Digo felizmente, porque considero potencialmente perigoso
uma decisão tomada baseada em apenas um aspecto, sem o balanceamento do
outro.

Talvez o ideal fosse um equilíbrio entre o racional e o
emocional, com pequenas oscilações para um ou outro lado.

Nas relações amorosas, frequentemente nos deparamos com
situações que exigem uma escolha e uma posição clara sobre o fato colocado.
Muitas vezes no ímpeto da emoção, fazemos coisas sem avaliar o desfecho futuro
que tal ato pode desencadear, o que com freqüência acontece de forma danosa.
Exemplo típico é o caso da relação sexual sem o uso de preservativo, movidos
pela paixão momentânea em que tudo o mais passa a ser desconsiderado. Esta
história já culminou em muita gravidez indesejada onde a vida do casal mudou
radicalmente e para sempre, pelo simples fato de não ter havido um mínimo de
racionalidade. Isso sem falar em doenças sexualmente transmissíveis, que podem
trazer conseqüências desastrosas e irrecuperáveis.

Na verdade, a emoção é o diferencial da espécie humana em
relação aos outros animais e por mais que tentamos, não conseguimos de forma
alguma deixa-la de lado. Se isso acontecesse, deixaríamos a nossa condição
humana e passaríamos a agir apenas por instinto.

A sexualidade humana é sempre carregada de muita emoção e
vários sentimentos que são responsáveis desde a aceitação até a repulsa por uma
determinada condição. È ela quem nos diz se tal parceiro vale a pena ou não,
através de vários pontos de vista, inerentes a cada individuo.

Em contrapartida, a razão é mais responsável, a meu ver, pelas
formas de amar, visto que, uma pessoa com firmes convicções, sejam elas de cunho
religioso, cultural ou qualquer outro, não deixará a emoção do momento
sobrepor-se a isso. Significa dizer que, por exemplo, se uma mulher tem a firme
convicção de que o sexo anal é uma coisa suja ou anti-natural, não será através
da emoção do momento que ela irá se sujeitar a faze-lo.

Também a razão tem muito a ver com o aprendizado de cada um, e
isso pode tornar-se, em alguns casos, algo bastante individual e particular.

Isso não significa dizer que a razão de um é menos ou mais
importante que a de outro, apenas que tem pontos de vista diferentes e que cada
um deve ser respeitado.

Nos relacionamentos amorosos, bem como em quase todas as coisas
na vida, independentes da razão e emoção, vale dizer que devemos agir sempre com
bom senso, procurando ao máximo a felicidade e realização das coisas que
fazemos, respeitando sempre as opiniões contrárias, mas sem perder nossas
convicções.

Razão e emoção devem, sempre que possível, andar o mais próximo
entre si na busca de acontecimentos prazerosos, sempre com responsabilidade e
senso critico para não ter seu futuro prejudicado por ações impensadas.

mais uma Prece…

Eu, em nome de Cristo, realizo positivamente em torno de mim, um vastíssimo campo fluídico de atração consciente de forças superiores e bens complexos, em proveito da humanidade, de que sou um órgão em todo sentido divino…

Realizo esse campo fluídico de atração consciente tanto no mundo fisico visível como no invisível, começando primeiro pelo invisível.

Esse vastíssimo campo fluídico de atração consciente cujo centro sempre ocupo, e circunscrito por meu circulo sagrado que o espirito de mim projetou para proteger-me e amparar-me, e proteger a minha obra, que é um departamento da grande obra de Deus, e contra cujo circulo magico- Circulo que constituí, verdadeira cadeia magnética, só invisível aos profanos, se vem quebrar, e se quebrarão todas as influencias adversas e todos os esforços do que me são contrários, ou que tenham porventura invejas de meu progresso e triunfo, os quais são os progressos e triunfos de meu Pai em mim, todo aquele profano que pretende transpor a cadeia magnética com más intenções e penetrando em meu campo fluídico, pensar em agir, que fique quebrado de energia e despojado da força que queira usar contra mim ou contra qualquer pessoa.

AMÉM!

Oque dizer?

Devo chamar de texto poético o que aqui exponho? 

Nada sei da métrica e menos ainda da estética devida – escrevo apenas.

Se não sei se sei, por que a audácia? Dar a cara à tapa!  Suponho que deve ser pelo desejo de estímulos (positivos ou não) que mexam com minha imobilidade.

Há também uma conclamação aos que, por ventura, se encontrem nas entrelinhas aqui mal postas. Ainda assim, sinto-me poeta.

Poeta sem poesia (uma mulher nu) e sem a necessidade de escrevê-las, sequer recitá-las, porque assim me distanciaria ainda mais mim – nunca me olhei no espelho e achei que estava olhando a minha verdadeira face.

Sim, estou  distante e intensamente focada em tudo.

Uma lonjura desenhada na parede. “O estrangeiro” de Camus. O sol quadrado dos detentos. Pode ser que se perceba algo, com algum esforço, é claro.

Sou poeta por não saber exprimir com precisão. 

Sou poeta que transborda na intensidade das coisas mínimas.

Mérito algum nisso.

 
 

Suspirar o que Anseio…

Gritar o que desejo…

Deixar que me leiam e possam perceber o que nunca consegui falar…

(day after day)

Começando a Recomeçar

Hoje é o Primeiro Dia do Resto da Minha Vida.

A quatro coisas que não voltam para traz…

A pedra atirada…

A palavra dita,

e a ocasião perdida!

Talvez essa fosse a grande chance…

Talvez esse fosse o exato momento…

A chance passou.

A palavra Errada foi dita.

A atitude Errada concluída.

A mentira e a falta de atitudes jogaram ao vento Conceitos e Sentimentos que poderiam estender-se pelo resto da vida.

COMEÇANDO A RECOMEÇAR …